Aula 6

Information about Aula 6

Published on October 15, 2007

Author: Irvette

Source: authorstream.com

Content

Aula 6:  Aula 6 Forças II – aplicações das leis de Newton Forças::  Forças: O mundo macro e micro As forças fundamentais da natureza Forças normais – referenciais não inerciais Forças de atrito - uma longa história Forças de arraste – equações diferenciais Força de atração gravitacional Movimento circular uniforme Mundo Sub atômico e Cosmos:  Mundo Sub atômico e Cosmos Auroborus, serpente emblemática do Egito e Grécia. Ela exprime a unicidade de todas as coisas! Os limites do Cosmos Os limites do mundo quântico Apenas seis números Martin Rees Forças Fundamentais da Natureza:  Forças Fundamentais da Natureza Gravitacional 1/r2 matéria Eletromagnética 1/r2 cargas elétricas, átomos, sólidos Nuclear Fraca Decaimento radioativo Nuclear forte Mantêm o núcleo ligado (curto alcance) 10-38 10-2 10-7 1 Pequena História do Átomo:  Pequena História do Átomo Pequena História do Átomo:  Pequena História do Átomo Elétron, 1897, J.J Thompson, experiência de raios catódicos. Nobel-1906 Fóton, 1905, Einstein, efeito fotoelétrico. Nobel-1921 Proton,1919, E. Rutherford (Nobel de Química-1908) , desintegração do N [ N14 + He4(α) → O17 + H1(p) ]. Neutron, 1932, J Chadwick, desintegração do B [ B9 + He4(α) → C12 + n ] .Nobel-1935 Força forte, 1933, Y. Yukawa, Nobel-1949 Unificação das forças:  Unificação das forças Maxwell tentou unificar forças elétrica e gravitacional Depois de 1915(teoria da relatividade geral) A. Einstein tentou a unificação. Fim dos 60, A. Salam (1926-96) e S. Weinberg(1933-) e S. Glashow (1932-) formularam a teoria Eletro-Fraca (Nobel 1979) Teorias de grande Unificação (GUT)!!!!!! Supercordas???? Forças Derivadas:  Forças Derivadas Todas as forças macroscópicas são ou gravitacionais ou eletromagnéticas. A estrutura dos átomos e as forças interatômicas dependem apenas da interação eletromagnética combinadas com os princípios da mecânica quântica. Forças interatômicas:  Forças interatômicas NaCl, íons positivos Na+ e íons negativos Cl-. Forças entre átomos e moléculas neutras. Forças de Van der Vaals (atrativas) Forças de Lennard-Jones atrativa Forças normais:referenciais não inerciais:  Forças normais:referenciais não inerciais Isaac Newton dentro de um elevador sobre uma balança. balança N O peso aparente é dado pela força normal. sobe… a > 0 Forças de atrito:  Forças de atrito Forças de atrito:  Forças de atrito www.tribologie.nl/backgrounds/history/history.htm Leonardo da Vinci (1452 – 1519): um dos primeiros a reconhecer A importância do atrito no funcionamento das máquinas. Leis de atrito de da Vinci: A área de contato não tem influência sobre o atrito Dobrando a carga de um objeto o atrito também é dobrado Tribologia:  Tribologia É a ciência e a tecnologia das superfícies interagindo em movimento relativo, engloba o estudo do atrito, desgaste e lubrificação! Forças de atrito: história:  Forças de atrito: história Leonardo da Vinci (1452 – 1519) Guillaume Amontons (1663 – 1705): redescoberta das leis de da Vinci atrito é devido à rugosidade das superfícies Charles August Coulomb (1736 – 1806): atrito proporcional À força normal e independente da velocidade. Lei de Amontons-Coulomb: História do atrito: continuação:  História do atrito: continuação F. Philip Bowden e David Tabor (1950): área real de contato é pequena! Microscópio de Força Atômica (1986): estudo em escala microscópica Medida microscópica de forças de atrito:  Medida microscópica de forças de atrito Imagens simultâneas de topografia e força de atrito para uma superfície de grafite. As corcovas representam as corrugações devidas aos átomos e a escala de cores representam as forças. O gráfico representa um corte na figura. Observe a escala dos eixos! http://stm2.nrl.navy.mil/how-afm/how-afm.html Atritos estático e cinético:  Atritos estático e cinético Ausência de forças horizontais:repouso Força de atrito estático máxima Atritos estático e cinético II:  Atritos estático e cinético II Os coeficientes de atrito depedendem das duas superfícies envolvidas O coeficiente de atrito cinético independe da velocidade relativa das Superfícies. Coeficientes de atrito:  Coeficientes de atrito www.physlink.com/Education/AskExperts materiais Aço/aço 0.74 0.57 Alumínio/aço 0.61 0.47 Cobre/aço 0.53 0.36 Madeira/madeira 0.25-0.50 0.20 Vidro/vidro 0.94 0.40 Metal/metal(lubrificado) 0.15 0.06 Gelo/gelo 0.10 0.03 juntas de ossos 0.01 0.003 Como medir forças de atrito:problema dos blocos:  Como medir forças de atrito:problema dos blocos Medida do coeficiente de atrito estático: limiar do movimento, a = 0 Como medir forças de atrito: método do dinamômetro:  Como medir forças de atrito: método do dinamômetro Placa presa Limiar do movimento: Como medir forças de atrito: plano inclinado:  Como medir forças de atrito: plano inclinado Plano inclinado para aulas de fisica (1850) …mais plano inclinado…bloco em movimento:  …mais plano inclinado…bloco em movimento Como o coeficiente cinético é menor, a inclinação pode ser diminuida e o bloco continuará em movimento Atrito em Flúidos:  Atrito em Flúidos Forças de arraste e velocidade terminal:  Forças de arraste e velocidade terminal Esboço de Leonardo da Vinci de 1483 Salto realizado por Adrian Nicholas, 26/6/2000 Forças de arraste e velocidade terminal:  Forças de arraste e velocidade terminal A força de arraste em um fluido é uma força dependente da velocidade (ao contrário da força de atrito vista até agora) e apresenta dois regimes: Fluxo turbulento: velocidades altas b) Fluxo viscoso: velocidades baixas Fluxo turbulento:  Fluxo turbulento Força de arraste: Coeficiente de arraste Área da seção transversal do corpo Densidade do meio Velocidade terminal: queda de corpos:  Velocidade terminal: queda de corpos mg FD Exemplo da gota de chuva (Halliday, Resnick) Sem a resistência do ar: Prara-quedas em acção:  Prara-quedas em acção Fluxo viscoso: exemplo simples de aplicação de equações diferenciais:  Fluxo viscoso: exemplo simples de aplicação de equações diferenciais Força de arraste nesse caso: Raio do objeto Coeficiente de viscosidade Velocidade terminal: Questão: como a velocidade aumenta até alcançar a velocidade terminal? Variação da velocidade em fluxo viscoso:  Variação da velocidade em fluxo viscoso Solução: Velocidade terminal demonstração:  demonstração Que é igual a !!! Limites:  Limites Se a exponencial Se Melhor aproximação para a força de arraste:  Melhor aproximação para a força de arraste Cada um dos termos domina em um limite de velocidade. Em baixas velocidades a força é linear, com o aumento da velocidade novos efeitos devidos a turbulência aparecem e a força fica proporcional a velocidade quadrada. Exemplo:  Bola de vidro de 5g cai em jarra de óleo. A força de arraste tem coeficientes b = 0.2kg/s e c = 0.1kg/m. a) Qual o valor da velocidade da bola quando os dois termos da força são iguais? b) Que termo domina quando a força e comparável com a gravidade? a) b) Exemplo Força fundamental: Força Gravitacional de Newton:  Força fundamental: Força Gravitacional de Newton Newton e a maçã:  Newton e a maçã A Lei universal da gravitação de Newton A Lei de Newton e a constante universal da gravitação:  A Lei de Newton e a constante universal da gravitação The torsion balance experiment of Henry Cavendish who in 1797 was the first to experimentally measure the gravitational constant G. (Courtesy of the Journal of Measurement and Technology.) Mais de 100 anos depois Limites da lei universal da Gravitação de Newton:  Limites da lei universal da Gravitação de Newton Previsões de teorias de supercordas afirmavam que em distancias pequenas , da ordem de mícron correções na lei da gravitação indicariam a existência de dimensões adicionais previstas pela teoria. O experimento em distâncias pequenas foi feito.... Os limites da Lei de Newton:  Os limites da Lei de Newton Cantilever, tungstenio, amplitude da ponta, 19 m resonante massa do detetor. Fonte - 35mm x 7mm x 0.305 mm, Detetor - 11mm x 5mm x 0.195mm Tungsten detector, double torsional oscillator Distancia fonte–detetor 108 m Upper limits to submillimiter-range forces from extra space-time dimensions. Long et al., Nature 421, 922, 2003 Esquema do experimento:  Esquema do experimento Mais detalhes:  Mais detalhes Se a Lei de Newton não fosse válida isto seria uma prova que supercordas é uma teoria correta! Distancia fonte–detetor 108 m O resultado mostra que a Lei da Gravitação Universal de Newton continua válida até em distâncias de ~100 m. Forças e movimentos circulares:  Forças e movimentos circulares & Algumas órbitas de planetas e satélites são elipses com excentricidades pequenas, podendo ser aproximadas a órbitas circulares. Vamos considerar a força de atração gravitacional como força centrípeta! Quanto dura o ano terrestre?:  Quanto dura o ano terrestre? (raio médio da órbita da Terra) dias! 3a lei de Kepler::  3a lei de Kepler: Resultado anterior para o ano terrestre: Reescrevendo… Qual é a massa da Terra?:  Qual é a massa da Terra? O raio da Terra é conhecido desde as medidas de Erastótenes (276 aC- 197 aC) Outro resultado de medida… Experimento de Cavendish, Pesando a Terra. Velocidade de uma órbita perto da superfície da Terra:  Velocidade de uma órbita perto da superfície da Terra Esse valor é muito maior do que a velocidade linear de um objeto qualquer na superfície da Terra: Órbita geoestacionária:  Órbita geoestacionária O escritor Arthur C. Clarke foi o primeiro a propor a órbita geoestacionária Volta completa em um dia Equivalente à 22.300 + 4.000 milhas Arthur C. Clarke (1939- ..):  Arthur C. Clarke (1939- ..) 2001 Uma Odisséia no Espaço. Filme de 1968 que levou 4 anos para ser escrito. Direção de Stanley Kubrick. O computador HAL 9000 ( sátira ao IBM)... Marco do cinema de ficção científica!!! Atrito no movimento circular:  Atrito no movimento circular Atrito e movimento circular:  Atrito e movimento circular moeda Para que a moeda não deslize e caia do disco Atrito e movimento circular II:  Atrito e movimento circular II Para uma dada freqüência de rotação existe um raio máximo para que a condição acima seja satisfeita: Outro jeito para medir o coeficiente de atrito! Força normal e movimento circular:  Força normal e movimento circular Componente x: Componente y Força normal e movimento circular:  Força normal e movimento circular Portanto: Próxima semana...:  Próxima semana... Forças especiais!!!!

Related presentations


Other presentations created by Irvette

Propaganda
29. 12. 2007
0 views

Propaganda

lecture3 yeast
16. 10. 2007
0 views

lecture3 yeast

Giving Bad News
28. 09. 2007
0 views

Giving Bad News

Nutrient Mobility 26
04. 10. 2007
0 views

Nutrient Mobility 26

bad honnef
05. 10. 2007
0 views

bad honnef

olsug 0402 10Hannay Nature
08. 10. 2007
0 views

olsug 0402 10Hannay Nature

Presentation Japan
09. 10. 2007
0 views

Presentation Japan

IRAN and RUSSIA Oil Gas Policies
11. 10. 2007
0 views

IRAN and RUSSIA Oil Gas Policies

present
12. 10. 2007
0 views

present

Presentation Russia
12. 10. 2007
0 views

Presentation Russia

13 Equine Sciences
19. 10. 2007
0 views

13 Equine Sciences

Panama Canal powerpoint
22. 10. 2007
0 views

Panama Canal powerpoint

Cathia Palmer MI BANCO
22. 10. 2007
0 views

Cathia Palmer MI BANCO

MOROCCO Time Line Power Point
23. 10. 2007
0 views

MOROCCO Time Line Power Point

clim forecast
02. 10. 2007
0 views

clim forecast

5004
10. 12. 2007
0 views

5004

Quake06 template v3
29. 10. 2007
0 views

Quake06 template v3

Hendra
31. 10. 2007
0 views

Hendra

Veschetti PL
01. 11. 2007
0 views

Veschetti PL

imo bw dip con highlights
06. 11. 2007
0 views

imo bw dip con highlights

itt recruitment challenges wales
06. 11. 2007
0 views

itt recruitment challenges wales

showcase
17. 10. 2007
0 views

showcase

fuel tank safety
07. 11. 2007
0 views

fuel tank safety

CClub2 11 08 05 Part 2
19. 11. 2007
0 views

CClub2 11 08 05 Part 2

2006StatsRRTC 3 4
29. 11. 2007
0 views

2006StatsRRTC 3 4

Hospitality Industry Workforce
14. 12. 2007
0 views

Hospitality Industry Workforce

Goff
06. 12. 2007
0 views

Goff

florence1
31. 10. 2007
0 views

florence1

cindy zheng update
17. 10. 2007
0 views

cindy zheng update

Town Hall PowerPoint 6 14 04
18. 10. 2007
0 views

Town Hall PowerPoint 6 14 04

abc5fm
09. 10. 2007
0 views

abc5fm

D Baker RadBelt
30. 10. 2007
0 views

D Baker RadBelt

Thursday
19. 10. 2007
0 views

Thursday

humn presentation
17. 10. 2007
0 views

humn presentation

berkeley04r
28. 11. 2007
0 views

berkeley04r

Hybridmedia in Japan 2005 small
09. 10. 2007
0 views

Hybridmedia in Japan 2005 small

osipenko
15. 10. 2007
0 views

osipenko

Henry VIIIs Problems
05. 10. 2007
0 views

Henry VIIIs Problems

NWAV 2007
31. 10. 2007
0 views

NWAV 2007

Rhetoric AmerDream ppt
19. 02. 2008
0 views

Rhetoric AmerDream ppt

AW12
29. 10. 2007
0 views

AW12

Small Arms Marking Overview
26. 02. 2008
0 views

Small Arms Marking Overview

HazeConsult 032207
05. 10. 2007
0 views

HazeConsult 032207

09 EMI
05. 11. 2007
0 views

09 EMI

class10 22
28. 02. 2008
0 views

class10 22

L17 PT2 Splicing1
15. 10. 2007
0 views

L17 PT2 Splicing1

ES110 Hazardous Waste
10. 03. 2008
0 views

ES110 Hazardous Waste

003 Glenn Jerome
16. 03. 2008
0 views

003 Glenn Jerome

explorer
25. 03. 2008
0 views

explorer

Lect 10A Tides
03. 04. 2008
0 views

Lect 10A Tides

chap19
08. 04. 2008
0 views

chap19

leb shaw
13. 04. 2008
0 views

leb shaw

gelisim 1
16. 10. 2007
0 views

gelisim 1

rm2 lautanala
19. 10. 2007
0 views

rm2 lautanala

Kickoff Poster Italy 1
31. 10. 2007
0 views

Kickoff Poster Italy 1

Collateral Damage 9 27 06
22. 04. 2008
0 views

Collateral Damage 9 27 06

Food show Big
05. 01. 2008
0 views

Food show Big

B1 U10 A
06. 05. 2008
0 views

B1 U10 A

EC2004 ch10
07. 05. 2008
0 views

EC2004 ch10

Home Hemo dialysis Presentation
07. 05. 2008
0 views

Home Hemo dialysis Presentation

CBMB discrimination
08. 05. 2008
0 views

CBMB discrimination

Youth Program Presentation
08. 05. 2008
0 views

Youth Program Presentation

5 Hall evidence based medicine
08. 05. 2008
0 views

5 Hall evidence based medicine

Remote Learning VATAT
02. 05. 2008
0 views

Remote Learning VATAT

Heart Reports
02. 05. 2008
0 views

Heart Reports

CDC033 Presentation
02. 05. 2008
0 views

CDC033 Presentation

ProviderFraudTrainin gPartII
02. 05. 2008
0 views

ProviderFraudTrainin gPartII

TEXPEC ACP program
02. 05. 2008
0 views

TEXPEC ACP program

Presentation30
11. 10. 2007
0 views

Presentation30

raceway Jarnigan
12. 10. 2007
0 views

raceway Jarnigan

Presentation MAROC 10 2006
24. 10. 2007
0 views

Presentation MAROC 10 2006

MoscowPres2fin GK 220207
26. 10. 2007
0 views

MoscowPres2fin GK 220207

131
18. 04. 2008
0 views

131

Boeing2003
24. 10. 2007
0 views

Boeing2003

morocco1105
24. 10. 2007
0 views

morocco1105

Linux101
02. 11. 2007
0 views

Linux101

Airspace needs
09. 10. 2007
0 views

Airspace needs

JackieWilliamson Sabah
13. 03. 2008
0 views

JackieWilliamson Sabah

WVEB NCSM
08. 10. 2008
0 views

WVEB NCSM

Presentacion AIDS Helder Mario
28. 12. 2007
0 views

Presentacion AIDS Helder Mario

PURI SCAG Presentation 111601 1
10. 04. 2008
0 views

PURI SCAG Presentation 111601 1

EQ OEM Presentation Nov04
02. 05. 2008
0 views

EQ OEM Presentation Nov04

Mr Anup Banerji ppt to CII
11. 12. 2007
0 views

Mr Anup Banerji ppt to CII

AdrianaMaria2
24. 10. 2007
0 views

AdrianaMaria2

El mundo del espectaculo2
02. 11. 2007
0 views

El mundo del espectaculo2

ECS2006PresentationGB
15. 10. 2007
0 views

ECS2006PresentationGB

SURF X4L
12. 10. 2007
0 views

SURF X4L

Schulte
06. 03. 2008
0 views

Schulte

Valtio luennot
20. 11. 2007
0 views

Valtio luennot

trw vortrag 18 03 04
16. 11. 2007
0 views

trw vortrag 18 03 04

GA GTIPGTEJones2
03. 10. 2007
0 views

GA GTIPGTEJones2

interim03
10. 10. 2007
0 views

interim03

haulintr
27. 02. 2008
0 views

haulintr

pandrangi
29. 09. 2007
0 views

pandrangi

Disz
01. 05. 2008
0 views

Disz

ETW2005SeminarVIII
23. 10. 2007
0 views

ETW2005SeminarVIII

Galkin prospecting
30. 10. 2007
0 views

Galkin prospecting

edpre040505
07. 10. 2007
0 views

edpre040505

sensor mama
03. 10. 2007
0 views

sensor mama

2nd European GIC
07. 01. 2008
0 views

2nd European GIC