of 10 emiranda MagSc

Information about of 10 emiranda MagSc

Published on October 12, 2007

Author: Marigold

Source: authorstream.com

Content

Comportamento Coletivo da Matéria: Uma Introdução à Supercondutividade e ao Magnetismo :  Comportamento Coletivo da Matéria: Uma Introdução à Supercondutividade e ao Magnetismo Eduardo Miranda 10a Oficina de Física do IFGW 3 de julho de 2004 O que é o magnetismo?:  O que é o magnetismo? Os ímãs são conhecidos desde a Grécia antiga: há relatos sobre a atração da magnetita (Fe3O4), achada na região da Magnésia, sobre pedaços de ferro. Mas afinal, qual a origem do magnetismo?:  Mas afinal, qual a origem do magnetismo? Quando estudamos eletromagnetismo, aprendemos que campos magnéticos são criados por correntes elétricas (lei de Biot-Savart). O que cria o campo magnético de um ímã? Seriam correntes microscópicas (Correntes de Ampère)? Efeito Einstein-de Haas-Barnett (1915-1925)::  Efeito Einstein-de Haas-Barnett (1915-1925): O spin do elétron: a proposta:  O spin do elétron: a proposta O spin do elétron: a explicação:  O spin do elétron: a explicação O magnetismo é essencialmente um efeito do spin do elétron! Ferromagnetismo: Fe, Co, Ni, ....:  Ferromagnetismo: Fe, Co, Ni, .... Esse é um efeito coletivo: é preciso um alinhamento de um número macroscópico (≈ 1023) de spins para que ele aconteça. Qual interação entre os spins gera essa tendência? Dada essa interação, como os spins se alinham coletivamente? Interação magnética entre dipolos?:  Interação magnética entre dipolos? Usando o momento magnético de spin do elétron (m≈eħ/2m) e distâncias atômicas típicas (r ≈ 1 Å) A agitação térmica de uns poucos Kelvin já mataria o ferromagnetismo Þ não pode ser essa a origem. Cada elétron é como um ímã. Sabemos como os ímas interagem. Dá pra explicar o ferromagnetismo como interação entre os “ímãs” dos elétrons? Princípio de exclusão de Pauli:  Princípio de exclusão de Pauli Princípio de exclusão de Pauli e os átomos:  Princípio de exclusão de Pauli e os átomos Camadas fechadas têm spin total nulo. Princípio de exclusão de Pauli e as moléculas:  Princípio de exclusão de Pauli e as moléculas Camadas fechadas têm spin total nulo. O mesmo ocorre quando há formação de uma ligação química (covalente) Princípio de exclusão de Pauli e os sólidos:  Princípio de exclusão de Pauli e os sólidos Ainda nesse caso, camadas fechadas (isolantes) e abertas (metais) têm spin total nulo. Regras de Hund (1927):  Regras de Hund (1927) Existem forças dentro do átomo que favorecem o alinhamento de spins. Como isso acontece? Notem que os 3 orbitais p do N têm todos a mesma energia, por isso não há violação do princípio de exclusão de Pauli. Princípio de exclusão e função de onda:  Princípio de exclusão e função de onda Elétrons ficam mais afastados e se repelem menos Elétrons ficam mais juntos e se repelem mais Interação de troca:  Interação de troca Vemos assim que, se os orbitais são diferentes mas têm a mesma energia, os spins tendem a se alinhar por causa da repulsão eletrostática entre os elétrons. Esse efeito leva o nome de interação de troca. Mas em última análise, é a repulsão elétrica que causa o efeito (não é uma “nova” interação). A repulsão elétrica tem valores compatíveis com a agitação térmica. Slide16:  Qual interação entre os spins gera essa tendência? Dada essa interação, como os spins se alinham coletivamente? Rede de spins:  Rede de spins Quanto maior a energia, menos provável é a configuração. Depende da Temperatura. Modelo de Ising:  Modelo de Ising Modelo de Ising:  Modelo de Ising A solução de Onsager mostrou que existe uma temperatura crítica Tc (Temperatura de Curie), tal que: Se T>Tc, o sistema não apresenta magnetismo Se T<Tc, o sistema é um ímã permanente Isso corresponde ao que é observado no Fe, Co, Ni, .... Domínios magnéticos:  Domínios magnéticos Na verdade, se você pegar um pedaço grande de Fe natural, ele não será um íma permanente. Isso porque ele é composto por um número enorme de pequenos ímãs (domínios) cada um apontando em uma direção. Isso é energeticamente mais favorável. Outros tipos de magnetismo:  Outros tipos de magnetismo Observação experimental do antiferromagnetismo:  Observação experimental do antiferromagnetismo Como os antiferromagnetos não têm uma magnetização total líquida, a observação de sua estrutura de spins só pode ser feita por espalhamento de nêutrons. Isso foi feito pela primeira vez por Clifford Shull em 1951 (Prêmio Nobel de 1994). Introdução à supercondutividade:  Introdução à supercondutividade Supercondutividade:  Supercondutividade Supercondutores do tipo I:  Supercondutores do tipo I Um campo magnético suficientemente alto mata a SC. Supercondutores do tipo II:  Supercondutores do tipo II Nesses, para um campo não muito alto, o campo magnético penetra o material em filamentos formando uma rede ordenada de fluxóides (descoberta por Abrikosov em 1957, Prêmio Nobel de 2003) Anéis com correntes persistentes:  Anéis com correntes persistentes Anéis supercondutores com correntes elétricas persistentes formam um estado metaestável que decai depois de um tempo cujo limite inferior medido é de 105 anos! Teoria microscópica::  Teoria microscópica: Os 3 receberam o prêmio Nobel de 1972 pela descoberta. John Bardeen é o único a ter recebido 2 Nobel de Física (o primeiro, de 1956, junto com Brattain e Shockley, pela invenção do transístor). O problema já havia frustrado as tentativas de físicos proeminentes como Bohr, Pauli, Heisenberg, Landau, Bloch, Einstein e Feynman. O primeiro passo::  O primeiro passo: H. Fröhlich mostrou em 1950 que a interação dos elétrons com os íons da rede poderia dar origem a uma interação efetiva atrativa entre os elétrons. Pares de Cooper::  Pares de Cooper: Através dessa atração efetiva, os elétrons tendem a formar um estado fracamente ligado. Esses pares são chamados de pares de Cooper. É interessante notar que os pares são muito “grandes”, cerca de 100-1000 vezes o espaçamento de rede entre os íons e a própria distância média entre os elétrons: entre os 2 elétrons de um par, existem milhares de outros pares! Classificação das partículas::  Classificação das partículas: As partículas da natureza podem ser classificadas em bósons e férmions. Bósons têm spin inteiro. Ex.: 4He (S=0), fótons de luz (S=1), etc. Férmions têm spin semi-inteiro. Ex.: elétron, nêutron, próton, 3He (S=1/2), etc. Condensação::  Condensação: Já vimos que os férmions têm que obedecer ao princípio de exclusão de Pauli. Dizemos que eles se “condensam” no estado fundamental. Essa é a condensação de Bose-Einstein. Exemplos: Superfluidez do 4He, gases rarefeitos super-resfriados (87Rb) Função de onda do condensado::  Função de onda do condensado: Portanto, como ocorre uma ocupação macroscópica do estado de mais baixa energia, podemos falar da função de onda global do condensado. A mecânica quântica se torna macroscópica! Eric Cornell and Carl Wieman (1995), Nobel de 2001 SC como condensação macroscópica:  SC como condensação macroscópica Entretanto, é importante frisar que nos supercondutores convencionais, a formação dos pares e a sua condensação ocorrem na mesma temperatura porque a interação é muito fraca. Condensação e rigidez da função de onda:  Condensação e rigidez da função de onda Um dos resultados mais importantes da condensação de pares é que a função de onda do condensada apresenta uma enorme “rigidez”: como todos os elétrons querem ficar no estado de energia mais baixa, é muito difícil destruir esse estado (seria necessário retirar todos os elétrons ao mesmo tempo). Essa rigidez da função de onda do condensado é que é responável por duas propriedades importantes do SC: Sua resistência nula: uma vez estabelecida uma corrente, é muito difícil espalhar os elétrons que a formam. Efeito Meissner: a função de onda expulsa o campo magnético. A natureza ondulatória da matéria: SQUID:  A natureza ondulatória da matéria: SQUID O caráter macroscópico da função de onda do condensado permite demonstrar a natureza ondulatória da matéria através de uma experiência de interferência. A história ainda não terminou....:  A história ainda não terminou.... Tc recorde é 139 K a press. ambiente. Não se conhece ainda o mecanismo microscópico. Coexistência de SC com magnetismo:  Coexistência de SC com magnetismo Ainda muito pouco entendida... SC e magnetismo: fenômenos coletivos:  SC e magnetismo: fenômenos coletivos O que há em comum com os dois fenômenos? Ambos são coletivos: Magnetismo: os spins têm que se ordenar todos juntos. Supercondutividade: todos os pares de Cooper têm que se condensar no estado de mais baixa energia. Eles não ocorrem com poucas partículas. É preciso um número muito grande! COMPLEXIDADE

Related presentations


Other presentations created by Marigold

High Touch Concept
08. 05. 2008
0 views

High Touch Concept

ismptt
02. 05. 2008
0 views

ismptt

perfeval 20021108
02. 05. 2008
0 views

perfeval 20021108

hegland track 2
02. 05. 2008
0 views

hegland track 2

Stories
02. 05. 2008
0 views

Stories

lecture01 intro
02. 05. 2008
0 views

lecture01 intro

presentation
30. 04. 2008
0 views

presentation

Oracle Order Management 2006
28. 04. 2008
0 views

Oracle Order Management 2006

WHCE March 06
22. 04. 2008
0 views

WHCE March 06

4th grade Plant Adaptations
03. 01. 2008
0 views

4th grade Plant Adaptations

psychosocial intervention
28. 09. 2007
0 views

psychosocial intervention

8 Geomorphic Regions
02. 10. 2007
0 views

8 Geomorphic Regions

SmokeScreen
10. 10. 2007
0 views

SmokeScreen

Roger Stough and Cheng
16. 10. 2007
0 views

Roger Stough and Cheng

Elfaro
22. 10. 2007
0 views

Elfaro

STOCONT2006SLIDESCOR SO
24. 10. 2007
0 views

STOCONT2006SLIDESCOR SO

Com oraleITB
24. 10. 2007
0 views

Com oraleITB

PC chap1 5
16. 10. 2007
0 views

PC chap1 5

hadron99nakada
17. 10. 2007
0 views

hadron99nakada

324l1 int
29. 10. 2007
0 views

324l1 int

MIS CI
29. 09. 2007
0 views

MIS CI

7bL Romantic Music
23. 11. 2007
0 views

7bL Romantic Music

Melihovs Phillips
23. 11. 2007
0 views

Melihovs Phillips

esf coruna
29. 12. 2007
0 views

esf coruna

The Civil War Presidents
31. 12. 2007
0 views

The Civil War Presidents

uganda 02
04. 01. 2008
0 views

uganda 02

Water Quality for Animals
04. 01. 2008
0 views

Water Quality for Animals

thinking wertheim 14jan05
07. 01. 2008
0 views

thinking wertheim 14jan05

07cury
01. 01. 2008
0 views

07cury

land
04. 10. 2007
0 views

land

Roosevelt and U S Imperialism
25. 10. 2007
0 views

Roosevelt and U S Imperialism

IP FSM fin EN
01. 10. 2007
0 views

IP FSM fin EN

naaman
02. 11. 2007
0 views

naaman

mypyramid calorie salary
04. 03. 2008
0 views

mypyramid calorie salary

ganotherapy
06. 03. 2008
0 views

ganotherapy

06 Steve Blanchet
09. 10. 2007
0 views

06 Steve Blanchet

IEW2005 Maeda
11. 04. 2008
0 views

IEW2005 Maeda

2005 Annual Meeting
13. 04. 2008
0 views

2005 Annual Meeting

supercell morphology2
07. 10. 2007
0 views

supercell morphology2

DA Portals
13. 03. 2008
0 views

DA Portals

Sainsel2 kickoff
24. 10. 2007
0 views

Sainsel2 kickoff

cannone
26. 02. 2008
0 views

cannone

5 Toscanini Ben Avi
06. 12. 2007
0 views

5 Toscanini Ben Avi

Oakland Tech Summit 2
29. 10. 2007
0 views

Oakland Tech Summit 2

03 OceanCirculation
07. 04. 2008
0 views

03 OceanCirculation

TSJMediaRlns
08. 10. 2007
0 views

TSJMediaRlns

14 WebSuche Ranking IV
19. 10. 2007
0 views

14 WebSuche Ranking IV

tacit
19. 02. 2008
0 views

tacit

enssup2004HR
02. 11. 2007
0 views

enssup2004HR

John Fenn
15. 10. 2007
0 views

John Fenn

Torch Presentation 5 01
03. 10. 2007
0 views

Torch Presentation 5 01

6 24 Switzerland
17. 10. 2007
0 views

6 24 Switzerland

JVA WorldeId
20. 03. 2008
0 views

JVA WorldeId

216f06 India Travel Guide
25. 03. 2008
0 views

216f06 India Travel Guide

am studies4
16. 03. 2008
0 views

am studies4

NASAtechnology
15. 11. 2007
0 views

NASAtechnology

Presentation 20April
10. 04. 2008
0 views

Presentation 20April

italy MLB
07. 11. 2007
0 views

italy MLB

Claude Research ALADIN DA
24. 10. 2007
0 views

Claude Research ALADIN DA

OME standards 28mar07
12. 10. 2007
0 views

OME standards 28mar07

Rasmus Christiansen Copenhagen
18. 03. 2008
0 views

Rasmus Christiansen Copenhagen

hinkson
27. 02. 2008
0 views

hinkson

GA27 mm
17. 10. 2007
0 views

GA27 mm

Gromov2006Rome
12. 10. 2007
0 views

Gromov2006Rome

11en
24. 03. 2008
0 views

11en